122017abr
Perda auditiva também afeta os mais jovens

Perda auditiva também afeta os mais jovens

Quando falamos em perda de audição, logo pensamos nas pessoas mais velhas. E de fato, a “melhor idade” infelizmente não consegue passar ilesa por esse problema. No entanto, é bom ficar atento aos mais jovens, que devido ao uso constante de fones de ouvido e cada vez mais expostos a volumes altos, podem desenvolver alguns distúrbios na audição.

Veja também:
:: Saiba as principais causas do sangramento no ouvido
:: Por que espirramos?
:: Nariz “trancado”? Conheça as principais causas da obstrução nasal

O otorrinolaringologista Neilor Fanckin Bueno Mendes, da Otorrinos Curitiba, lembra que os fones de ouvido são um dos vilões dessa perda gradativa de audição, e que muitas vezes passa despercebido pelos mais novos.

“O fone de ouvido tem sido um vilão cada vez mais presente, porém os problemas causados pelo seu mau uso tendem a aparecer alguns anos mais tarde, o que faz com que os jovens não percebam a gravidade do uso incorreto deste aparelho”, explica.

Causas
As principais causas da perda auditiva nos mais jovens se diferenciam um pouco das nos adultos. Segundo Mendes, “quando falamos em adolescentes com problemas de audição, pensamos em doenças autoimunes, infecções virais que possam acometer o nervo da audição, até mesmo doenças genéticas que se manifestem na fase da adolescência, perfurações e retrações na membrana timpânica. Outro problema é o acúmulo da cera de ouvido, que é a causa de perda de audição mais comum que nós temos”, exemplifica o especialista.

Nos mais velhos, a perda auditiva pode estar relacionada ao uso de medicamentos tóxicos para o ouvido, que incluem desde analgésicos, anti-inflamatórios e até remédios para o câncer, além de infecções, doenças crônicas, traumas ou exposições a ruídos.

Sintomas
Inicialmente, o principal sintoma da exposição excessiva a volumes intensos é o zumbido. “Isso fica bem evidente quando vamos a um show ou a uma festa, por exemplo, onde a música está muito alta. No outro dia, se ficarmos com um zumbido agudo e aquela sensação de orelha cheia ou abafada, isso é sinal de que tivemos algum grau de lesão nas células da nossa cóclea”, alerta Neilor. A perda de audição propriamente dita se dará com o passar do tempo e com a exposição cumulativa, principalmente se o paciente tiver uma predisposição para a perda auditiva.

som alto otorrinos curitiba

Use com moderação
Os fones se tornaram nossos companheiros do dia a dia. No entanto, para evitar problemas futuros, saber usá-los é parte fundamental no processo de cuidado com os ouvidos. “O ideal é utilizá-los em um volume médio e evitar ficar por horas com o fone sem dar um descanso. Aconselhamos uma espécie de ‘repouso auditivo’: 15 minutos de descanso a cada 1h utilizando o fone, evitando, assim, possíveis lesões”, orienta o especialista.

Tratamento
Quando a perda auditiva for identificada, é importante avaliar suas principais causas e manter acompanhamento médico. “Em relação à perda de audição por exposição a ruídos, ela tende a se estabilizar se o paciente não se expuser mais a sons abusivos. No entanto, é extremamente importante manter um acompanhamento médico periódico para termos certeza que não há outra causa de perda de audição associada”, finaliza Neilor.

Sobre Neilor Fanckin Bueno Mendes
Neilor Fanckin Bueno Mendes é formado em Medicina, com residência em Otorrinolaringologia pelo Hospital Angelina Caron, fellowship em Otologia pelo Hospital da Cruz Vermelha e estágio em Otologia e Otoneurocirurgia pelo Centre Hospitalier Universitaire de Bordeaux – França. É também preceptor de otologia dos serviços de otorrinolaringologia dos hospitais Angelina Caron e Cruz Vermelha.

Sobre a Otorrinos Curitiba
A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

Serviço:

Otorrinos Curitiba

Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês

Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br




Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *